A Venezuela chavista e bolivariana rumo à Pátria Grande não está só



A guerra desencadeada pelos Estados Unidos contra a Venezuela não conseguiu conter o isolamento do país bolivariano. A guerra não convencional, os golpes brancos, a mudança de regime, o apelo não violento, a produção de massivas ações mediáticas que narram e confundem. notícias falsas disseminadas em poderosas plataformas de informação para minar a estabilidade política e constitucional do sistema de governo do país; a guerra do laboratório tecnológico nas redes de informação, a guerra de quarta geração, se desencadeou contra Venezuela, Cuba, Nicarágua do mesmo calibre que usaram na Líbia, Síria, Iraque e contra governos progressistas em outras partes do mundo.

O OBJETIVO: UM BLOQUEIO PARA A VENEZUELA BOLIVARIANA

O cerco por mar, ar e terra à pátria de Chávez que Trump impiedosamente lançou em seus 4 anos à frente da Casa Branca, não subjugou ou intimidou o povo chavista e o governo. Os falcões John Bolton, Mauricio Claver-Carone, Maike Pompeo e Elliot Abrams pretendiam invadir a Venezuela. Segundo eles, essa ação provocaria uma revolta na FANB !. Trump não deu sinal verde porque farejou que invadir a Venezuela desencadearia uma verdadeira revolta e rejeição em toda a região. Que Rússia, China, Irã, Cuba não ficariam de mãos cruzadas e é claro que as massas chavistas e bolivarianas lutariam até que saíssem vitoriosas ou morressem. É por isso que a principal política genocida da Casa Branca se concentrou em isolar a Venezuela, encerrá-la, criando uma cerca macabra ao redor da República Bolivariana com o eixo Bogotá, Madri e Estados Unidos. Lançar ações criminosas, independentemente das terríveis consequências sociais de tal agressão contra a Venezuela. O plano traçado pelo governo Trump, de bloqueios e sanções, o cerco econômico, financeiro, comercial e petrolífero, incluía o fim da PDVSA; e conseguiram, neste processo repressivo, que a Venezuela praticamente não venda uma gota de petróleo e mergulhe o país bolivariano em uma crise profunda sem precedentes. Devemos lembrar ao esquecido que de 2014-2019 praticamente 99% da receita da República Bolivariana foi perdida.

Entre outubro de 2019 e 2020, a Venezuela não exportou um único barril de petróleo! Na ocasião, o subsecretário do Escritório de Recursos Energéticos do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Francis R. Fannon, acusou N. Maduro de usar as receitas do petróleo para financiar o aparelho chavista e atividades desestabilizadoras na região, por isso aplaudiu e justificou a aplicação das sanções desumanas! Os Estados Unidos, a UE, o Cartel de Lima não se importavam nem um pouco que o país bolivariano bloqueado não pudesse importar remédios, alimentos, suprimentos de todos os tipos, o básico para manter sua indústria em pé e responder à situação econômica duramente atingida pelo país . É preciso negociar com a Venezuela correria ou risco de sanções de todos os tipos.

Os Estados Unidos, a UE, o Cartel de Lima não se importavam nem um pouco que o país bolivariano bloqueado não pudesse importar remédios, alimentos, suprimentos de todos os tipos, o básico para manter sua indústria em pé e responder à situação econômica duramente atingida pelo país. É preciso negociar com a Venezuela correria ou risco de sanções de todos os tipos.

A ORDEM EXECUTIVA QUE OBAMA DEIXOU

D. Trump praticamente declarou guerra à Venezuela. Com a Ordem Executiva que B.Obama deixou, nº 13692, o Decreto Obama de 2015 declarou a Venezuela “uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos”, ainda em vigor hoje. Com este decreto, todos os tipos de planos intervencionistas decididamente dispostos a derrubar Nicolás Maduro e o governo bolivariano foram liberados. Trump lançou implacavelmente planos abertos de sufocamento, ameaças e violência extrema que incluíram ataques terroristas, tentativas de assassinato como em 4 de agosto de 2018 com um drone carregado de explosivos que explodiu em um ato militar, onde Maduro e o alto comando da FANB. Por sua vez, propiciou ações armadas na fronteira com a Colômbia, – 2.200 quilômetros de extensão-; Ele incentivou o Brasil a entrar em conflito com a Venezuela e no Mar do Caribe, porta de entrada da República, pressionou ameaçadoramente invadindo as águas venezuelanas.

Com a Assembleia Nacional em poder – 2015-2020- a Ordem Executiva, o “Governo Provisório” de Guaidó, CITGO, subsidiária da PDVSA nos Estados Unidos, foi roubado e se apropriou dos bilhões de dólares da Venezuela em o Exterior. Uma verdadeira pirataria gringo e um crime contra a humanidade contra o país bolivariano! Tudo com o silêncio de muitos e a cumplicidade de alguns que preferiram calar-se perante tanto ódio e vadiagem imperialista!

MERCENÁRIOS DE PAGAMENTO TREINADOS NA COLÔMBIA.

Uma temível operação político-militar que implicava que a qualquer momento os gringos estivessem fazendo o “Grande Panamá”; (Nos anos 90 eles entraram com os fuzileiros navais, assassinaram mais de 5.000 panamenhos e levaram Noriega para os Estados Unidos). Em maio de 2020, a Colômbia, em combinação com os Estados Unidos, treinou mercenários nos campos de La Guajira e tentou desembarcar tropas paramilitares na costa de La Guaira, – a “Opercion Gedeon” – com o objetivo de estabelecer uma base mercenária. região e de lá vá ao Palácio de Miraflores e assassine Nicolás Maduro e outros líderes bolivarianos. Esta operação criminosa foi abortada pela rápida ação de milicianos pescadores que descobriram a tempo essas gangues criminosas, avisando a FANB dos vândalos, e elas foram rapidamente capturadas.

Os gringos sabem que não é fácil na Venezuela. Tentar repetir a aventura criminosa gringo do Panamá é quase impossível. Os Fanbs e as milícias estão preparados e dispostos a repelir as agressões de onde quer que venham, conscientes do seu papel antiimperialista; As massas chavistas totalmente mobilizadas e ajoelhadas no chão defendendo sua última Revolução são a Rússia, China, Irã, Cuba e os povos latino-americanos e caribenhos que amam Chávez, Venezuela e seu digno exemplo de pátria soberana !!!!

A crueldade aventureira estrelando o valentão derrotado do bairro, incluindo a demonizada campanha de um milhão de dólares. Com os donos de meios de comunicação poderosos, jornalistas pagos, uso as mais incríveis infâmias contra o país bolivariano e seus dirigentes. Em todo o mundo, os meios gráficos e audiovisuais, as redes, a informação, dedicam 80% dos seus espaços a insultar, atacar, mentir, difamar, demonizar, Maduro e tudo o que tenha a ver com aquele país. Particularmente na Europa, e especialmente na Espanha, horas e horas, páginas e páginas, difamacões e difamações.

TRUMP NÃO ATINGEU SEU PLANO

Os planos elaborados por Trump foram parcialmente bem-sucedidos. O terrível bloqueio não conseguiu, como era o objetivo, desencadear uma revolta social que acabasse com o chavismo, tornando-o responsável pelos males que estavam ocorrendo no país. Nada disso! As massas venezuelanas, o povo puro, compreenderam as consequências que as sanções e ameaças americanas produziram no país! E, uma a uma, foram desmanteladas e esmagadas as medidas conspiratórias e golpes da direita terrorista venezuelana que, ao ritmo do roteiro imperialista, foram lançados na República Bolivariana. Las guarimbas sanquinarias, 2014-2017, a tentativa de golpe de Leopoldo Lopez e Juan Guaido em 30 de abril de 2019, com um grupo de desertores da FANB, a ridícula proclamação presidencial em 23 de janeiro de 2018 do atual ex-deputado Guaido, um verdadeiro circo e um importante payazo! Um ensaio com uma nota fiscal gringo tentando aproximar a extrema direita venezuelana e onde as Forças Armadas internacionais se encarregariam de dar legitimidade à farsa. Um governo paralelo que daria carta aos EUA em suas medidas desastrosas e roteiro ridículo!

Esse absurdo imprudente e interferente não funcionou para ele. Eles levaram o autoconvocado para todas as partes do mundo, o “presidente provisório da Venezuela”; vendê-lo ao autoconvocado e criar expectativas dos governos fantoches que acompanharam esse lixo miserável e temerário do laboratório imperialista.

O Plano não funcionou para ele e dos 59 governos que apoiaram a fraude, só hoje existem apenas 9 presidentes que ainda estão pendurados no nefasto script ianque!

AMIZADE E SOLIDARIEDADE COMPROMISSO COM A VENEZUELA !!!

Enquanto ataca ferozmente e demoniza a Venezuela, o país bolivariano vem desenvolvendo alianças e acordos de solidariedade com Estados soberanos que coincidem em um mundo sem hegemonias e respeitados como países soberanos. Um exemplo são os acordos com a República Islâmica do Irã que, desafiando as ameaças americanas, enviaram petroleiros para ajudar a Venezuela que, por causa do bloqueio, não teve um pingo de gasolina! Um verdadeiro exemplo de amizade e solidariedade, e hoje o Irã tem acordos de cooperação estratégica em saúde, ciência e tecnologia, apoio ao transporte pesqueiro, alimentação e energia!

Tanto a Rússia, China, Cuba, os países ALBA-TCP e os amigos da Revolução, em uma firme aliança de solidariedade e compromissos de cooperação, estabeleceram um Mundo de respeito junto com a Venezuela, acompanhando a Pátria de Bolívar e ajudando-a a romper o Bloqueio e As sanções genocidas nos âmbitos econômico, comercial, de saúde, militar, financeiro e denunciam a indignação sofrida pelo país bolivariano no cenário diplomático, onde se discutem as atrocidades do império e os Estados Unidos estão na vanguarda das agressões contra a Venezuela.

RÚSSIA, CHINA, CUBA, IRÃO, ALIADOS INCONDICIONAIS.

Tanto China, Rússia e Cuba não param de enviar carregamentos sanitários e vacinas para o covid-19 ao país bolivariano, e têm alianças econômicas, comerciais, financeiras, produtivas, diplomáticas, militares, turísticas, em uma relação de igualdade, respeitando plenamente soberania, neste caso para a Venezuela. Os laços da República não são determinados exclusivamente pela questão do petróleo, muito menos com os Estados Unidos ou com a OEA.

A Venezuela fomentou precisamente relações de respeito e igualdade nas organizações internacionais que incomodam e irritam o império e os países capitalistas da Europa. Não podem aceitar que um país relativamente pequeno e pobre que “lhes pertence” se rebele, exija liberdade e funcione com total independência dos antigos e corruptos poderes dominantes. Esse olhar colonialista dos poderes instituídos hoje está de volta. A Venezuela chavista e bolivariana é um incitamento à liberdade, um rompimento com qualquer opressão e um firme apelo à construção de outras relações de respeito onde coexistam todos os países, grandes e pequenos, sem o espectro da guerra, do ódio, do acesso, do bloqueio, das sanções. A Venezuela está fortemente articulada com os novos poloneses emergentes, verdadeiras potências em desenvolvimento. Este novo mundo emergente promove a paz, eles precisam da paz e lutam pela paz!

VOLTAR A Chávez, LULA, NESTOR-CRISTINA, EVO, CORREA, …

As novas autoridades norte-americanas, o governo Biden, pretendem mascarar a intervenção política na Venezuela e na região. A estratégia é “relaxar” os laços com o México e a Argentina, manter Bolsonaro feliz, aplaudir Piñera e “repreender” Iván Duque pelos massacres e repressão aos protestos do povo na Colômbia. Um diálogo aparentemente cordial na América Latina onde seus enviados percorrem a região mostrando a presença direta dos Estados Unidos no continente. Lembremos que o governo democrata de B. Obama, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, bombardeou 7 países em 5 anos de presidência. Nada que Joe Biden diga ou faça deve chamar nossa atenção, ou gerar qualquer tipo de expectativa de mudança de política na região. Um exemplo claro é a guerra desencadeada pelos Estados Unidos contra Cuba com mais de 200 medidas de sanção na ilha que geram a maior escassez de sua história e fazem com que milhares de cubanos se mobilizem em busca de alimentos básicos e sejam utilizados pela EEU no feroz campanha contra Cuba, quando eles, justamente, são os responsáveis ​​diretos pela escassez e pelo ônus da ilha. E como exigia a AMLO e o pedia Alberto Fernández, o bloqueio a Cuba deve ser levantado.

Eles, os Estados Unidos, criaram essa situação como estratégia para tentar derrubar a Revolução. E o perpetrador dispara o movimento acusando o governo cubano de ser o responsável pelos atos de violência. A Sra. Julie Chung, funcionária do Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, tuitou seu apoio às mobilizações em Cuba. De forma desavergonhada o EUA, Joe Biden, manipula e promove golpes e conspirações em nossa região.

SEMPRE O INJERCISMO IMPERIAL

A nova estratégia colonizadora dos Estados Unidos junto com o Canadá e a União Européia é interferir na Venezuela, deixando de lado momentaneamente a derrubada de Nicolás Maduro, agora é condicionar a CNE venezuelana às próximas eleições de governadores e prefeitos que ocorrerão em 21 de novembro em ou no país. Biden não fala mais em bloqueios, em um governo interino, agora é uma tática eleitoral e exigir que “todos” participem e não deixem de fora suas tropas, os Guaidos, os Freddy Guevaras, L: Lopez e todos os golpistas de ultradireita que a política é o terrorismo. A interferência de Washington é para condicionar as decisões da CNE, de interferir na atividade preparatória para o evento eleitoral de 21 N, como se eles, os Estados Unidos, decidissem pela soberania da Venezuela.

NADA MUDOU COM A ADMINISTRAÇÃO DE JOE BIDEN

Não há dúvida de que o império está dando um passo para trás, é manejado de outra maneira, mas não menos perigoso por isso. Querem continuar com a tutela e controle do “quintal”, cada vez mais difícil e complicado. É por isso que Maduro e as autoridades venezuelanas não negam o diálogo com o governo Biden, mas exigem o levantamento das sanções e do bloqueio que tanto prejudica o funcionamento normal da República Bolivariana. No entanto, é ininteligível que os EUA agora propiciem, com os democratas no governo, a escalada do golpe em Cuba e o bloqueio brutal à ilha da Revolução! No entanto, os EUA com Joe Biden continuam pressionando a região. A encarregada de negócios dos Estados Unidos, Charisse Phillips, viajou a Santa Cruz para visitar o governador Luis “Macho” Camacho para “reafirmar os laços de amizade”; justamente em uma visita ao maior golpista da Bolívia, que com a OEA de Almagro e a colaboração de Mauricio Macri, derrubou Evo Morales! Neste momento, denunciado pelo governo de Luis Arce, está sendo investigado o embarque de armas para a Bolívia, Jeanine Añez, no governo Macrista e Lenin Moreno, ex-presidente do Equador, usado para reprimir e massacrar as massas bolivianas em Sacaba ( Cochabamba) e Senkata (El Alto, em La Paz). Um verdadeiro Plano Condor 2. Os Estados Unidos não se retiram da política do pau, pelo contrário, pretendem retomar o controle da região tal como está e evitar que converjam as mudanças ocorridas na Colômbia, Chile e Peru. ao fortalecimento do integrador de projetos que está no meio ambiente e se desenvolve lenta mas seguramente na América Latina e no Caribe!

As provocações e políticas dos Estados Unidos continuam. Maduro denunciou a ida de funcionários da CIA e do Comando Sul à Colômbia e ao Brasil como mais uma tentativa de assassiná-lo. O perigo de ações criminosas encobertas está latente e não parece que Biden pretende detê-las. Nos Estados Unidos, a política não é outra senão a do Pentágono e dos “durões” que governam o país do Norte. Outro exemplo são as miseráveis ​​e destrutivas sanções à ilha de Cuba, rejeitadas pela grande maioria dos países do UN. E, claro, as sanções contra a Venezuela e 29 governos no mundo.

O ESFORÇO DE CADA UM NÃO É ALCANÇADO

O projeto de integração da América Latina e do Caribe é a principal forma de pensar para ser soberano, livre e independente. Do contrário, cada um buscará suas próprias soluções, como faz o governo de direita no Uruguai, “negociando separadamente” no Mercosul. O destino da Venezuela, Cuba, América Latina e Caribe é recuperar o projeto integrador que os líderes da Grande Pátria fomentaram na época. O caminho na região continua sendo uma aliança que alcança objetivos econômicos, culturais e políticos que nenhum país sozinho pode implementar com sucesso total. A aliança entre todos é necessária. A Venezuela e os países que integram a ALBA-TCP, este bloco, estão promovendo um retorno à Grande Pátria, integrando a Argentina da FDT, o México do AMLO e recuperando a experiência deixada por Chávez e Néstor plenamente válida e necessária.

Um projeto não é sustentável dentro da estrutura de um país ou de um pequeno grupo de governos. A ALBA –TCP, criada por Fidel e Chávez, é ainda um núcleo para a integração de um projeto regional maior e mais sólido onde a experiência de Cuba e da Venezuela contribuem para consolidar o bloco antiimperialista de forte conteúdo social. Enquanto esse caminho de integração cresce, os conflitos e provocações na Venezuela bolivariana continuam com intensidade. Neste momento, o governo chavista está lutando arduamente contra as gangues criminosas, que atingem os bairros pobres de Caracas. Vândalos que operam com assistência e acordos com a restante oposição ultra-terrorista venezuelana, associada a paramilitares colombianos que lhes fornecem armas pesadas e treinamento militar. Já é público que a gangue KOKI é um braço militante do P.J. e recebe somas milionárias de dólares por meio de ONGs administradas no exterior. A recente viagem de Leopoldo López ao Peru, Equador e Colômbia não foi acidental. Precisamente este jogo de terror é feito quando uma delegação da União Europeia está em visita, verificando a situação do país para as próximas eleições de 21. Desta forma, eles tentam boicotar o ato eleitoral que mostra ao mundo o respeito pelo Estado de direito , garante as instituições institucionais do país que garantam amplamente o normal funcionamento das instituições democráticas venezuelanas.

RMÃ DA COLÔMBIA USADA PARA ATACAR A VENEZUELA

Esta guerra do submundo em Cota 9O5 e outros bairros no sul de Caracas está intimamente relacionada às ações paramilitares no Estado de Apure e outros grupos criminosos que operam em regiões da Venezuela. Fortemente armados de bandos irregulares, treinados e financiados do exterior com logística no país, fortemente relacionados à política de oposição de que o modo de operação é conspiração e violência. O principal objetivo dos vândalos, narcotraficantes e mercenários combinados e articulados com a extrema direita, é criar muitos pontos estratégicos que lhes permitam atuar e apresentar um Estado falido que não consegue controlar os surtos violentos que mantêm os amedrontados e temerosos vizinhos como reféns , nas áreas populares mais atingidas pelo bloqueio brutal e sanções penais. Gerar caos, disfuncionalidade de poder até o colapso do país. Nada disso foi possível graças à ação rápida e planejada – Operação Gran Indio Cacique Guaicaipuro-, posta em prática pelo governo bolivariano por meio das forças policiais e na ponta da liderança, conseguiu desmantelar o terrorismo gangster.

Produzir violência em Caracas, mostrar caos, mortes, confrontos, uma situação de guerra que macula a busca pelo diálogo e pela paz no país. Devemos estar cientes de que por trás desses acontecimentos está a mão dos Estados Unidos e da contra-revolução local que busca reverter as conquistas alcançadas na vida democrática dos venezuelanos. Talvez queiram mais guarimbas, tentativas de assassinato, invasão mercenária, golpe militar, parlamento paralelo, governo paralelo, justiça paralela, linchamentos, escraches, apagões, escassez de alimentos, remédios, hiperinflação, especulação, ataques ao Bolívar, à gasolina, manipulação de migrantes, paramilitares nos bairros e, claro, derrubar o legítimo governo bolivariano. A ilusão imperialista não tem fim.

Diante de tudo isso, Nicolás Maduro afirma que a Venezuela caminha firmemente para o Estado de BEM-ESTAR SOCIALISTA; retorno ao período de crescimento e estabilidade econômica que se viveu na época do Comandante Hugo Chávez. A Venezuela pode mostrar ao mundo que conseguiu construir com o GMVV mais de 3.592.587 moradias e está chegando a 5 milhões; Pode-se mostrar que a produção de alimentos está se recuperando, antes 80% eram importados, hoje são feitos no país. Você pode mostrar a rede de farmácias itinerantes populares, unidades móveis a preços acessíveis. Pode mostrar que é capaz de concordar sobre a institucionalidade e a Constituição em mãos. Um processo bolivariano onde o eixo é constituído pelo povo de forma protetora. Sem dúvida, deixando para trás os males produzidos pela direita conspiratória e golpista, a Venezuela deve acelerar seus passos de integração na região. Só com a Venezuela não é suficiente; Nem com Cuba, Nicarágua, Bolívia, porque os povos clamam por Unidade, Solidariedade e Cooperação no caminho do GRANDE PAÍS.

Publicado no Aporrea (Venezuela)

20/07/21

http://www.aporrea.org/actualidad/a304322.html

Foto: crédito Cuba Debate